Presenteísmo: você já ouviu falar desse mal?

Presenteísmo: você já ouviu falar desse mal?

_______

O corpo está presente, mas a mente não. Isso é presenteísmo. A causa de um dos males que mais atrapalha a produtividade nas empresas está atrelada a motivos financeiros

Quando o assunto é a falta de produtividade no trabalho, dois problemas costumam ser levantados: absenteísmo e presenteísmo. Absenteísmo significa estar ausente. No contexto empresarial, ocorre quando um colaborador falta ao trabalho. Já o presenteísmo no trabalho ocorre quando uma pessoa está presente, embora sem ação ou comprometimento. Ou seja, o colaborador está fisicamente, mas não mentalmente.

Obviamente, o presenteísmo é mais difícil de ser percebido do que o absenteísmo, pois não há ausência física. Além disso, o presenteísmo é também entendido como uma extensão de outros problemas pessoais, que podem estar relacionados com a saúde física ou mental, questões emocionais, problemas familiares, entre outros.

O pior é que a falta de motivação no trabalho é contagiante. O que uma pessoa deixa de produzir acumula para a outra e assim, sucessivamente, se converte em um quadro crônico de baixa produtividade.

Presenteísmo financeiro – Problemas com dinheiro trazem uma série de preocupações e isso não é novidade. Porém, estudos recentes têm mostrado que a queda na produtividade devido a questões financeiras pode ser maior do que se imaginava. O presenteísmo financeiro ocorre quando os problemas com as finanças impedem uma pessoa de realizar o trabalho dela.

Uma pesquisa realizada por uma grande empresa de consultoria norte americana (Willis Towers Watson) e divulgada pela agência Reuters mostra dados concretos dos efeitos do presenteísmo financeiro.

A pesquisa mostra que funcionários que vivem com frequente estresse devido a problemas financeiros chegam a perder mais de duas semanas por ano de produtividade, tempo maior que o impacto da sonolência, comum no começo da manhã, e até mesmo maior que o absenteísmo – que causa em média 3,5 dias de perda de produtividade ao ano.

Impactos – O presenteísmo financeiro causado por motivos de estresse com dinheiro por ter efeitos desastrosos.

Acompanhe o exemplo

Digamos que um funcionário que recebe R$ 3.000 de salário bruto custa para a farmácia, em média, R$ 4.600 ao mês.

Uma perda de produtividade de duas semanas devido ao estresse com problemas financeiros — conforme a pesquisa da Willis Towers Watson — acarretaria num valor gasto pela farmácia e não retornado pelo funcionário de R$ 2.553 ao ano.

Se estendêssemos o cálculo para uma equipe de 50 pessoas, com o mesmo salário médio de R$ 3.000, em cinco anos a perda gerada pelo presenteísmo financeiro no trabalho já chegaria a quase R$ 848.000!

Nesse exemplo é possível perceber como problemas financeiros, que inicialmente podem parecer apenas questões pessoais, interferem em toda a empresa.

Você já passou por uma situação dessas com a equipe da sua farmácia?

E você, como empresário, está sempre presente e produtivo ou perde desempenho preocupado com as finanças pessoais e da empresa?

A solução para o presenteísmo gerado pelo estresse com as finanças é o empoderamento financeiro. Para isso, a Par Mais, empresa parceira da Anfarmag, pode ajudar, fornecendo conhecimento, acesso a diversas ferramentas relacionadas com as finanças do dia a dia e aos serviços que você precisa para tomar suas próprias decisões financeiras.

Faça uma simulação do impacto do presenteísmo financeiro em sua farmácia aqui

Não deixe a oportunidade passar: cadastre-se para receber o contato de um consultor da Par Mais para apresentação dos serviços de consultoria financeira pessoal e empresarial


Autor:
  • Par Mais
    Par Mais
    Investimentos Financeiros
    __
Esse artigo foi útil para você? Sim Não

Idealização e Realização